segunda-feira, 19 de agosto de 2013

A falsa Verdade, a Mentira incessante!


Ao ter optado como missão de vida, desenvolver esforços no sentido ao encontro de soluções possíveis aos desafios de outras pessoas, como Coach (Coaching), encontro-me constantemente a lidar com um paradoxo incontornável.

 É muito usual procurar-se a felicidade e o equilíbrio nas suas relações (principalmente consigo mesmo), nos negócios e noutros assuntos de carácter pessoal. mas em qualquer um dos processos, está sempre presente um ponto muito desejado que na realidade se torna uma falsa verdade.
A busca  de um ponto final(.), quando a vida é uma constante de pontos de reticencias (...)

Deseja-se muito colocar pontos finais em todos os assuntos, em todos os processos quando a experiência de vida nos ensina que atrás de um ponto, consequentemente, vem outro e mais outro ...
Assim criando a perspectiva de uma mentira incessante.

Todos os dias se passa por esta lição, bastando se por de pé e deslocar-se de um lado para um outro, partindo do principio que passo passo é um ponto, e logo outro de seguida, terá que o dar, para se manter em equilíbrio. Por exemplo: num determinado momento definiu aquela pessoa como namorada/o ou casou-se? consequentemente vem implícito determinadas características como confiança, fidelidade, respeito, partilha ... comprou uma motorizada, moto, carro ou uma casa? Lá vem os seguros, manutenção, preenchimento (extras, recheá-la) ...

Tal como cada opinião formada ou decisão tomada, é um ponto e após a esse existe uma continuidade consequente.
O mesmo acontece nos negócios. Sempre que se acrescenta um novo ponto na estratégia, nas decisões ou até mesmo nas acções consequentemente está-se a traçar um novo rumo em relação ao ponto inicial. Aquilo que se chama de efeito domino ou bola de neve. Por exemplo: está a trabalhar ou contrata alguém, passa a ter as despesas de transporte para o local de trabalho, almoços, (subsídios), seguros ... Montar o seu próprio trabalho/negócio, consequentemente tem as obrigações ao estado (acréscimo de Seg. Social, IRC, Pack), mais seguros, despesas implícitas ...

com isto não pretendo retirar importância a um simples ponto final, pois sem ele não se chega ao próximo.
Seguindo a ideologia da matemática, também o caminho do ser humano é sequencial.

Assim chegamos à conclusão que nos 3 pontos seguidos (...), em qualquer processo vai-se atribuir importância ao 1º ponto, ampliando-o e consolidando-o de forma a torna-lo realidade e concretizando-lo, para que de forma sustentada se passe ao segundo ponto das reticencias, e deste modo seguidamente sem viver com a falsa verdade, e na mentira incessante que é a ilusão de que fechando um ponto, este esteja absolutamente fechado.

Paulo Renato

Sem comentários:

Enviar um comentário